Arquivos de Categoria: Turismo Histórico

São Paulo higienizado, ou como 3 milhões cabem em um espaço para 100 mil.

Sempre amei São Paulo e passei a amar mais ainda depois das aulas de urbanismo que tive com o professor Jairo Ludmer na Faculdade de Belas Artes, onde me formei já vão décadas.

Jairo nos levava para o centro da cidade, à noite. As aulas eram in loco, seu ensino peripatético cravou na minha alma ainda mais o amor à história da cidade. Aprendi com ele como o tecido urbano ainda guarda elementos representativos de nossa história material e imaterial por meio de suas construções e, até mesmo, por meio da fala de seus espaços vazios que igualmente revelam tanto como os ocupados.

A Virada Cultural, com um público estimado em 3 milhões de pessoas, fazia dessa cidade, em horas antes mortas, o cenário a ser vivenciado e apreciado entre o deslocamento de um palco a outro, de um show a outro. O centro pulsava, revivia como na época dos grandes cinemas e espetáculos e de outros tempos em que tudo lá ocorria, antes que a nossa generosa geografia permitisse que São Paulo se espraiasse deixando para trás, como áreas necrosadas, espaços que não mais interessavam para a elite.

A atual gestão Haddad perdeu uma excelente oportunidade em juntar a Virada do Patrimônio a Virada Cultural. Mostrar e explicar melhor para a população que ali estava o que era tudo aquilo que viam, ou não. Perderam a chance de terem aberto o Terraço do Martinelli para se ver a cidade a meia-noite, terem o hall do velho Banco de São Paulo, melhor exemplo em arquitetura e decoração art-decô da cidade, ocupado com algum espetáculo. Isso para falarmos em apenas dois, das centenas de espaços possíveis e, quase, anônimos, que poucos viram e sabem do que estou falando.

Agora, o novo prefeito, que sonha com um parque no Jockey Club, em uma das áreas que mais tem opções de lazer de São Paulo, – ao contrário do Capão Redondo, onde as traves dos gols, quando existem, viram locais enlameados quando chovem -, anunciou que irá levar a Virada Cultural, de 3 milhões de pessoas, para Interlagos. Como fazer 3 milhões de pessoas caberem em um espaço que dificilmente cabem 100 mil não deve tirar o sono do atual alcaide eleito. Algum gráfico deve ter contentado o atual gestor, altamente capacitado para gerar uma das maiores metrópoles do mundo, após o seu merecido descanso em Miami, necessário após vencer a disputa eleitoral.

A cidade é vida, é pulsante, assim como a história, tecnocratas já tentaram domá-la, e falharam miseravelmente. Prestes Maia que o diga. Seu arrojadíssimo Plano Avenidas tornou-se defasado após alguns anos de implementado.  O alcaide eleito, ainda não empossado, além de domá-la quer higienizá-la, a começar pelo próprio centro a quem nega a vida levada pela Virada. Quer limpá-lo, quer trocar lâmpadas, limpar jardins, arrumar o que está quebrado e pintar tudo. Falta saber quando virá a cúpula de cristal Swarovski para cobrir e, assim, preservar, sem vida, o centro de São Paulo puro, lido e belo, como uma pintura de Romero Britto.

Paulo Rezzutti

Anúncios

O Rio de Janeiro Imperial, uma viagem cultural em mais de 400 anos de história

capela-imperial

Antiga Capela Imperial, no Rio de Janeiro

Mais do que uma visita à cidade maravilhosa, embarque no maior curso livre de imersão histórica sobre a vida da família imperial brasileira e a respeito do Brasil Colônia, Primeiro e Segundo Reinados! O curso será ministrado in loco. O aluno terá o privilégio de vivenciar os cenários e os passos dos principais personagens da época, entender seus costumes, a estrutura social do período e muito mais!

A 2º edição do curso ocorrerá em Outubro de 2016, do dia 17 ao dia 21. O curso será dividido em três dias no Rio de Janeiro, com visitação ao antigo Palácio de São Cristóvão, na Quinta da Boa Vista, e os arredores do bairro imperial, além de visitas guiadas ao Museu Histórico Nacional, Jardim Botânico, Igreja de N.S. da Glória do Outeiro, e a antiga Capela Imperial e ao Paço Imperial. Também haverá um tour pelo “Rio Negro”, passando pela Gamboa e pelo cemitério dos Pretos Novos. A segunda parte do curso será ministrada em Petrópolis, a Cidade Imperial, onde haverá visita ao Museu Imperial, incluindo ao setor museológico onde veremos peças do acervo que não estão expostas. O Museu Imperial é um dos mais importantes e visitados da América Latina.

O curso foi preparado e será ministrado pelo arquiteto, Paulo Rezzutti que dará explicações sobre os locais e revelará os bastidores da nossa história. Rezzutti é  membro titular do Instituto Histórico e Geográfico de São Paulo e trabalhou como consultor técnico na exumação dos corpos dos primeiros imperadores do Brasil. Tem três livros publicados sobre o período do Primeiro Reinado: Titília e o Demonão: cartas inéditas de d. Pedro I à Marquesa de Santos , Domitila, a verdadeira história da Marquesa de Santos finalista do Prêmio Jabuti, 2014 e D. Pedro, a história não contada. Atualmente trabalha na biografia D. Leopoldina,  a história não contada, que será lançada em março de 2017 pela ed. LeYa/Casa da Palavra. Também colaborou com o roteiro e participará do curso Katia Loureiro, a Cacau, guia de turismo regional, nacional e internacional América do Sul. Cacau é formada em Eventos pela Universidade Anhembi Morumbi além de possuir diversos cursos de especialização em história, arte e patrimônio nacional.

Será fornecido ao final do curso o certificado de participação com a respectiva carga horária.

Existem diversos pacotes para os interessados. Para saber mais acessem

http://www.turismonahistoria.com.br/AguardeRio.html

ou entrem diretamente em contato com a Cacau pelo e-mail cacau@turismonahistoria.com.br

D. Pedro, a história não contada é matéria do Correio da Paraíba

Matéria do jornalista Kubitschek Pinheiro no Correio da Paraíba de 14 de outubro de 2015

cp14c1-03

Viagem ao Rio Imperial

rioimperial

 

 

 

 

 

 

 

Roteiro da Viagem Cultural ao Rio de Janeiro e Petrópolis de 20 a dia 24 de julho

20/07

8h30 – Embarque Aeroporto de Congonhas em São Paulo
12h – visita ao Mercado Cobal – Almoço livre
14h – Visita guiada ao Jardim Botânico – Entrada inclusa
17h – Check in – Hotel OK
19h30 Jantar no Hotel OK – Jantar incluso

21/07

7h30 City Tour a pé ao Centro Histórico com visitação interna: Igreja Santo Antônio, antiga Capela e Paço Imperial, Santa Cruz dos Militares, entre outros, entradas inclusas
12h Almoço livre na região do Arco de Teles
14h Museu Histórico Nacional – entrada inclusa
19h Jantar no Amarelinho, na Cinelândia – incluso

22/07

7h30 Saída Parque das Ruinas Grátis
10h Visita interna e externa a Quinta da Boa Vista – entrada inclusa
13h Almoço – Sativa Cotação – almoço incluso
15h Outeiro e Museu da Glória – entrada inclusa
16h Rio Negro: Cais da Gamboa, Docas, Pedra do Sal
18h Museu Pretos Novos
Noite Lapa – Livre

23/07

8h Check out – Hotel
9h Visita Guiada a Ilha Fiscal – ingresso incluso
12h Almoço Arco do Teles Livre
14h Saída para Petrópolis
16h Check in – Hotel York
18h30 Sarau Imperial nos jardins do Museu Imperial – Incluso
20h Show e Luz – Incluso
21h Jantar no restaurante Bordeaux – Incluso

24/07

9h30 Check out
10h Museu Imperial – entrada inclusa
12h Catedral São Pedro de Alcântara – Av. Koeler
13h Almoço Livre
16h Saída – Aeroporto Santos Dumont

– Aéreo + hotel (quartos duplo ou triplo) + ingressos + transporte + refeições descritas = R$ R$ 2.530,00 à vista ou em 4 parcelas de R$ 632,50 com primeiro pagamento até dia 24 de Abril – Comprando para mais de uma pessoa o segundo passageiro tem 5% de desconto

ou

– Aéreo + hotel (quarto single) + ingressos + transporte + refeições descritas = R$ R$ 2.905,00 à vista ou em 4 parcelas de R$ 726,25 com primeiro pagamento até dia 24 de Abril – Comprando para mais de uma pessoa o segundo passageiro tem 5% de desconto;

Para conferir outros pacotes e formas de pagamento acesse: http://www.turismonahistoria.com.br/AguardeRio.html

%d blogueiros gostam disto: